sábado, 19 de maio de 2012

Queixa de ruído

Queixas por causa de ruído aumentaram 10% e atingiram as 80 em 2011



O Provedor de Justiça recebeu no ano passado 80 queixas por excesso de ruído, um aumento de quase 10% face a 2010, fazendo com que seja o motivo mais recorrente de queixa em matérias ambientais.
A maioria das queixas (38) relaciona-se com restaurantes, bares e discotecas, que estão muitas vezes “instalados em edifícios multifamiliares sem isolamento”, segundo o relatório de actividades de 2011 da Provedoria de Justiça, a que a agência Lusa teve acesso.

Foram igualmente registadas 10 queixas por causa do ruído provocado pelo tráfego, sobretudo rodoviário, e outras 10 por causa do excesso de ruído provocado pelos vizinhos.

O relatório regista ainda nove queixas relativas ao ruído provocado por comércio e serviços, “designadamente cabeleireiros, ginásios e oficinas de automóveis”, seis devido a espectáculos nocturnos na via pública, quatro por actividades industriais e três relacionadas com “equipamentos para espantar aves ou alarmes sonoros de passagens de nível”.

O total de queixas recebidas em 2011 por excesso de ruído representa um aumento de 9,6% em relação a 2010, ano em que foram registadas 73 queixas, o que já na altura fazia com que as reclamações contra ruído excessivo tivessem “um lugar central”.

Sem comentários:

Enviar um comentário